arquitetura

 

 

Engenharia Civil

engenharia civil



Esta página está em construção, e ainda não foi formatada, Escritório de Arquitetura Patricia Mellilo - Fazendo do seu
Projeto a Arquitetura da Construção de sua Casa a realização do seu Sonho. Rua Coronel Rodrigues Simões n 620 São Manuel - SP. Visite nosso novo site www.patriciamellilo.com.br ou entre em contato pelo telefone (14) 3841-5334 ou pelo e-mail patriciamellilo@gmail.com

Saiba mais sobre Decoração para sua Casa, e Trabalho de arquitetos e arquitetas na construção e projetos de Casas e Construção.


engenharia é a atividade em que os conhecimentos científicos são empregados para resolver problemas práticos.

engenharia civil é o ramo da engenharia que projecta e executa obras como edifícios, pontes, viadutos, estradas, barragens e trabalhos de hidráulica fluvial e marítima.

O engenheiro civil projecta e acompanha todas as etapas de uma construção e/ou reabilitação. Deve estudar as características do solo, incidência do vento, destino (ou ocupação) da construção.
Com base nesses dados, desenvolve o projeto, dimensionando e especificando as estruturas, as redes de instalações elétricas, hidro-sanitárias e gás, bem como os materiais a serem utilizados. No gabinete de obra, chefia as equipas, supervisionando os prazos, os custos e o cumprimento das normas de segurança, saúde e meio ambiente. Cabe-lhe garantir a segurança da edificação, exigindo que os materiais empregues em obra estejam de acordo com as normas técnicas em vigor.
A engenharia civil tem, de alguma forma, relações com todas as atividades humanas. O profissional de engenharia civil exerce a sua atividade em:

* Area técnica,como elaboração de projeto
* Área gerencial, como execução de obra, gestão de empresas ou departamentos de grandes empresas
* Área financeira, como gestão de carteiras de clientes corporativos (empresas) em bancos ou instituições financeiras

Por possibilitar uma ampla variedade de atuação profissional, a engenharia civil oferece ainda grande oportunidade aos seus profissionais, possibilitando que estes que se dediquem à boa formação académica tenham sucesso posteriormente, na sua carreira.

engenharia agronômica
engenharia agrícola
engenharia de alimentos
engenharia do ambiente
engenharia aeronáutica
engenharia de áudio
engenharia biológica
engenharia biomédica
engenharia cartográfica
engenharia civil
engenharia da computação
engenharia de controle e automação
engenharia de controlo
engenharia de instrumentação
engenharia económica
engenharia eléctrica
engenharia estrutural
engenharia de telecomunicações
engenharia florestal
engenharia física
engenharia geográfica
engenharia hídrica
engenharia humana
engenharia informática
engenharia madeireira
engenharia de materiais
engenharia militar
engenharia de minas
engenharia naval
engenharia de pesca
engenharia de petróleo
engenharia de produção
engenharia química
engenharia sanitária
engenharia de sistemas
engenharia de tecidos
engenharia têxtil

engenharia agronômica

O Engenheiro Agrônomo é um profissional com capacidade de realizar análise científica, de identificar e resolver problemas, preocupar-se com atualização permanente de conhecimentos e de tomar decisões com a finalidade de operar, modificar e criar sistemas agropecuários e agro-industriais sempre se preocupando com os aspectos sociais e de sustentabilidade. O conteúdo profissional essencial, é composto de matérias destinadas a caracterização da identidade profissional Agropecuária. Além disso, o profissional conta com matérias de conteúdos profissionais específicos.

O Engenheiro Agrônomo possue grande conhecimento de biologia vegetal, química, bioquímica, solos,interação entre a planta e o solo, manejo de plantas e animais, zoonozes, controle de pragas agrícolas e urbanas, além de noções gerais de engenharia Agrícola, Florestal, Zootecnia e demais áreas correlatas.

É considerado o profissional mais antigo e tradicional do setor agrícola brasileiro.

engenharia agrícola

engenharia Agrícola é a profissão que busca solucionar problemas que afetam o desenvolvimento do agronegócio, fornecendo soluções de engenharia necessárias ao aumento de produtividade, diminuição de custos, a preservação e a conservação dos recursos naturais envolvidos. No setor agrícola, as demandas ocorrem com evolução intensa e complexa, exigindo sempre mais dos profissionais que neles atuam. Neste contexto, existe a necessidade de conhecimento científico e tecnológico para o desenvolvimento de uma agropecuária racional. Durante o curso o estudante de engenharia agrícola aprende projetar e desenvolver sistemas de irrigação e drenagem; projeto de construções agrícolas e instalações e ambiência para animais; planejamento de sistemas de automação e controle; planejamento e gerenciamento de produções agrícolas; monitoramento meteorológico, previsão de safras agrícolas e zoneamento agroclimático; levantamentos topográficos para obras e para divisões de terra, uso de sensoriamento remoto e fotografias aéreas no planejamento agrícola e no monitoramento ambiental; planejamento de sistemas de secagem e conservação de produtos após a colheita, bem como seu processamento e desenvolvimento de embalagens adequadas; planejamento de sistemas de energização rural, uso racional de energia, sistemas alternativos de geração e, mais recentemente, uso do laser na agricultura e processamento digital de imagens, nas quais são empregadas técnicas de programação. O curso possui uma forte característica ambiental, principalmente no que tange ao uso adequado dos recursos hídricos e do solo, atuando na conservação da qualidade da água e do solo, bem como no manejo e tratamento de resíduos líquidos e sólidos gerados pelos processos agrícolas. Enfim, o profissional de engenharia Agrícola formado possui uma sólida base de engenharia com aplicação focada na solução dos problemas técnicos e ambientais do agronegócio brasileiro.

É importante lembrar que, embora o curso esteja classificado como sendo de ciências agrárias, toda a sua estrutura e grade curricular é baseada em ciências exatas (Cálculo, Matématica, Física), além de disciplinas relacionadas às engenharias que contribuem para o desenvolvimento Agrícola, tais como as engenharias mecânica, elétrica, civil e conhecimentos de informática, programação e automação. Tais conhecimentos, aliados aos conhecimentos agronômicos do profissional, formam a combinação perfeita para a resolução de problemas complexos no setor agrícola. Motivo pelo qual, o profissional de engenharia Agrícola tem se tornado essencial em setores agrícolas altamente tecnificados.

Curiosidade: É muito comum entre os menos esclarecidos a confusão entre o profissional de engenharia Agrícola (Engenheiro Agrícola) e o profissional de Egenharia Agronômica (Agrônomo), vale aqui salientar que esses profissionais, embora possam ocasionalmente atuar em áreas semelhantes, dominam áreas de conhecimento diferentes dentro do setor agropecuário, não devendo portanto, este ser tomado por aquele e vice versa.

engenharia de Alimentos

A engenharia de alimentos é a área da engenharia química voltada à produção e tecnologia de alimentos.

O QUE É engenharia DE ALIMENTOS

É uma área de conhecimento específica capaz de englobar todos os elementos relacionados com a industrialização de alimentos, e que pode através do profissional com esta formação, potencializar o desenvolvimento deste ramo em todos os níveis; seja na formação de profissionais, no subsídio à elaboração de políticas, nos projetos de pesquisa, na atuação dentro das empresas do setor, como na colaboração à preservação da saúde pública (normatização técnica, orientação e fiscalização).

Atualmente a profissão de Engenheiro de Alimentos está muito difundida, principalmente nos países mais industrializados, onde desempenha cada vez mais atividades relacionadas com excelência. Há que se ressaltar ainda que, no caso desses países, existem muitas oportunidades de intercâmbio com o Brasil , possibilitando o contato com tecnologias de ponta, para posterior adaptação e aplicação às nossas condições.

FORMAÇÃO DO ENGENHEIRO DE ALIMENTOS

A engenharia de Alimentos é uma profissão de caráter multidisciplinar. Abrange diversas áreas do conhecimento humano, mas especialmente duas :

CIENCIAS EXATAS (engenharia) . Matemática Aplicada . Fisico-Quimica . Termodinâmica . Operações Unitárias

CIÊNCIAS BIOLOGICAS (Alimentos)

. Bioquimica
. Microbiologia
. Nutrição
. Matérias Primas

Esse caráter multidisciplinar da profissão é conseqüência do tipo de informações necessárias para o domínio da tecnologia de processamento dos alimentos. É preciso conhecer com profundidade os alimentos:

. os diferentes tipos (carnes, frutas, hortaliças, laticínios, grãos etc.),

. sua composição (proteínas, açúcares, vitaminas, lipídios, etc.)

. sua bioquímica (reações enzimáticas, respiração, maturação, envelhecimento, etc.)

. sua microbiologia (microorganismos característicos, deterioração, etc.)

. características sensoriais (sabor, textura, aroma, etc.)

E as diversas técnicas e processos:

. beneficiamentos ( moagem, extração de polpas, de sucos, de óleos, etc.)

. tratamentos térmicos( pasteurização, esterilização, congelamento, liofilização, etc.)

. biotecnologia ( fermentação , tratamentos enzimáticos, etc.)

. emprego de ingredientes e matérias-primas

e também embalagens de alimentos, que estão estritamente ligados à essa área.

Para promover a correta interação entre processo x alimento visando; o controle das condições que proporcionam os padrões de qualidade desejados; a evolução de técnicas tradicionais; e a viabilização de produtos inéditos no mercado.

O propósito do curso de engenharia de Alimentos é preparar profissionais capazes de desempenhar as atividades de engenharia dentro das Indústrias do ramo da Alimentação, desenvolvendo projetos e processos produtivos, a partir das características de qualidade dos produtos, objetivando a otimização dos recursos e aumento da produtividade. Dessa forma, além da formação básica (Ciências Exatas e Biológicas), o curso oferece disciplinas na área de Ciências Humanas, visando introduzir os conceitos administrativos para as atividades gerenciais.

ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE ALIMENTOS

O Engenheiro de Alimentos atua dentro dos seguintes segmentos:

. Indústria de Produtos Alimentícios

. Indústria de Insumos para Processos e Produtos (matérias-primas, equipamentos, embalagens, aditivos)

. Empresas de Serviços

.Órgãos e Instituições Públicas

. Desenvolvimento de novos produtos e embalagens para alimentos

exercendo suas atividades nas seguintes áreas :

PRODUÇÃO/PROCESSOS

Racionalização e melhoria de processos e fluxos produtivos para incremento da qualidade e produtividade, e para redução dos custos industriais.

GARANTIA DE QUALIDADE

Determinação dos padrões de qualidade para os processos (desde a matéria-prima até o transporte do produto final), planejamento e implantação de estruturas para análise e monitoramento destes processos, e treinamento de pessoal para prática da qualidade como rotina operacional.

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Desenvolvimento de produtos e tecnologias com objetivo de atingir novos mercados, redução de desperdícios, reutilização de subprodutos e aproveitamento de recursos naturais disponíveis.

PROJETOS

Planejamento, execução e implantação de projetos de unidades de processamento("plant lay-out", instalações industriais, equipamentos), bem como seu estudo de viabilidade econômica.

COMERCIAL / MARKETING

Utilização do conhecimento técnico como diferencial de marketing na prospecção e abertura de mercados, na assistência técnica, no desenvolvimento de produtos junto aos clientes e apoio à área de vendas.

FISCALIZAÇÃO DE ALIMENTOS E BEBIDAS

Atuação junto aos órgãos governamentais de âmbito municipal, estadual e federal, objetivando o estabelecimento de padrões de qualidade e identidade de produtos, e na aplicação destes padrões pelas indústrias, garantindo assim, os direitos do consumidor.

 

engenharia do ambiente

A engenharia do ambiente é um ramo da engenharia que estuda os problemas ambientais de forma integrada nas suas dimensões ecológica, social, económica e tecnológica, com vista a promover um desenvolvimento sustentável.

Atuação do engenheiro ambiental

Como qualquer engenheiro, o engenheiro ambiental tem por função resolver problemas concretos, recorrendo à tecnologia. Por este motivo, o seu mercado de trabalho é bastante heterogéneo e distribuí-se por: administração central, seus serviços descentralizados a nível regional, administração local, empresas indústriais, empresas de consultoria, empresas de serviços, ONGs, instituições de investigação e ensino superior.

Uma das aptidões que devem ser desenvolvidas pelo engenheiro ambiental, é a avaliação da duração, magnitude e reversibilidade das alterações causadas pela atividade humana no meio ambiente independentemente de sua natureza adversa ou benéfica. O primeiro curso de engenharia Ambiental criado foi o da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), campus de Canoas (RS), pela Resolução Consun/ULBRA n. 45, de 31 de outubro de 1991, subsidiada pelo Parecer n. 1.031, de 06 de dezembro de 1989, que somente foi iniciado em 01 de março de 1994. Já o primeiro curso que entrou em funcionamento foi o da Universidade de Federal de Tocantins (UFT), em 09 de março de 1992, que foi criado pela Resolução CESu n 118, de 19 de dezembro de 1991 (BRASIL, 2004a; UFT, s.d.). É válido ainda, lembrar que em 2003 deu-se inicio ao curso de em uma das maiores e mais conceituadas Universidades do País, a USP no campus de São Carlos, contando com um elenco de professores muito conceituados na área, a maioria deles advindos do curso de engenharia sanitária. O CEFET-RJ criou em 1999 e colocou em funcionamento o primeiro curso de Tecnólogo em Controle Ambiental no Brasil.

engenharia aeronáutica

engenharia aeronáutica é o ramo da engenharia encarregado do projeto de aviões, helicópteros e naves espaciais. Sendo o Engenheiro Aeronáutico também capaz de atuar na área aeroaespacial.

engenharia aeronáutica é uma área de estudo complexo que envolve o estudo de projeto de aeronaves, manutenção, certificação de aeronavegabilidade e áreas científicas.

Fazem parte da formação básica de um engenheiro aeronáutico disciplinas de cálculo, geometria analítica, álgebra, Equações Diferenciais Ordinárias, Física, Química, Eletricidade e Magnetismo, Estatística e Dinâmica.

Da formação básica em engenharia tem se disciplinas de desenho técnico mecânico, metrologia, mecânica dos sólidos, mecânica dos fluídos, eletrônica, tecnologia digital, elementos de máquinas, termodinâmica e transporte de calor e massa.

Dentro da área específica de formação em engenharia aeronática tem se aeroelasticidade, aerodinâmica incompressível, aerodinâmica tridimensional, aerodinâmica compressível, aerodinâmica computacional e aerodinâmica experimental. Mecânica de estruturas aeronáuticas, materiais de construção aeronática, fadiga e fratura de materiais, sistemas dinâmicos de aeronaves, propulsão.

Em muitas universidades a engenharia aeronáutica está especialmente ligada a engenharia mecânica, sendo lecionada engenharia mecânica com ênfase em aeronaves.

Este curso existe na USP (Universidade de São Paulo) desde 2002, onde previamente existia um curso de Eng. Mecânica com ênfase em aeronaves desde 1981, no ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) através do CEA (Centro de Estudos Aeronáuticos) desde 1975.

 

engenharia de áudio

A engenharia de Áudio lida com a manipulação do som. Devido ao seu trabalho, o engenheiro de áudio também é chamado de engenheiro de som. Um engenheiro de áudio precisa lidar com gravação e manipulação de som por meios elétricos e eletrônicos. Os conhecimentos básicos de um engenheiro de áudio incluem engenharia elétrica, acústica, psicoacústica, informática e música. É importante ressaltar que engenharia de áudio é diferente de engenharia acústica. O que diferencia um engenheiro de áudio de um engenheiro acústico é que o último trabalha com a qualidade do som, incluindo ruído e pureza, além de design de ambientes.

O trabalho de um engenheiro de áudio envolve a criação, instalação e operação de equipamentos de gravação e manipulação de áudio, além de equipamentos para transmissão e emissão de áudio. Dentro de um estúdio, um engenheiro é responsável pela parte técnica da gravação, manipulação, mixagem e masterização do som. Engenheiros de áudio têm um campo de trabalho extenso, incluindo produção de áudio para filme e televisão, som ao vivo, produção para rádio, propaganda, multimídia, além da criação de efeitos especiais e, obviamente, música.

O engenheiro de áudio opera mesas de mixagem, microfones, softwares de manipulação digital, equipamentos para gravação analógica, alto-falantes e equipamentos periféricos para efeitos e ajustes de som. Em um estúdio, o engenheiro de áudio geralmente trabalha com o produtor do álbum, se encarregando dos aspectos técnicos da gravação.

 

engenharia biológica

engenharia biológica ou biotecnologia é a aplicação dos princípios de biologia e da engenharia ao processamento de materiais, através de agentes biológicos, para prover bens e assegurar serviços.

Este ramo da engenharia aproveita também a aplicação de conhecimentos de matemática, química, física e economia, entre outros à concepção, desenvolvimento e operação de instalações ou instrumentos que permitem a utilização de organismos vivos.

Agentes biológicos

Pode-se entender como agentes biológicos células em geral e suas moléculas (enzimas, anticorpos, DNA, etc.) sobre os quais deve haver conhecimentos básicos necessários.

Microbiologia

É importante conhecer a Microbiologia, Bioquímica, Genética, Química entre outros referentes ao organismo e/ou molécula escolhido como agente de processo biotecnológico.

A biotecnologia e a microbiologia são utilizadas para desenvolver técnicas que permitem cultivar microorganismos para produzir medicamentos, à exemplo dos antibióticos, ou alimentos como a produção de células de morango para obter mudas comerciais. Além dos citados, podem ser desenvolvidos processos que permitem o tratamento de dejetos sanitários pela ação de microorganismos.

Biotecnologia: passado e futuro

Já na antigüidade eram conhecidos os processos de produção de pão e bebidas fermentadas. Também os Astecas cultivavam em lagos variedades de algas utilizadas como fontes de alimentos.

A partir do século XIX, com o progresso das ciências, especialmente a microbiologia, houve grandes avanços na tecnologia das fermentações.

No início do século XX desenvolveram-se técnicas de cultura de tecidos. No final da década de 1970, a engenharia genética revolucionou a engenharia biológica "clássica" dando origem ao que denominamos "nova" Biotecnologia.

Atualmente torna-se possível, em alguns casos, "convencer" uma célula a fazer algo para o qual ela não estava "programada", pois a engenharia genética, através de técnicas de engenharia biológica consegue modificar geneticamente microorganismos com características desejadas. Utilizando-se a métodos de biologia molecular associados à informática, é possível também a automação e controle no cultivo de vegetais em escala industrial.

Graças a engenharia biológica já foram lançados vários produtos no mercado mundial. Em alguns casos, como os da insulina e do hormônio do crescimento. A inovação consistiu em substituir os métodos de obtenção tradicionais. Em outros casos, como o dos anticorpos monoclonais, trata-se de produtos inteiramente novos.

engenharia biomédica

Funcionamento do Corpo Humano

As técnicas de engenharia podem ser aplicadas ao estudo do corpo humano. Nesta óptica, um engenheiro está interessado no transporte e na transformação de alimentos, sangue e oxigénio no corpo humano, com as propriedades dos materiais que o constituem, com a distribuição de elementos químicos e com as propriedades dos tecidos. Estas informações são utilizadas para produzir modelos do corpo humano com os quais é possível prever os efeitos das terapêuticas a efectuar.

Biomateriais e desenvolvimento de próteses

Determinadas pessoas, quer devido a acidentes, doenças degenerativas ou a deficiências físicas, podem precisar de próteses. Estas próteses têm que ser adequadas à função a que se destinam. Para isso são desenvolvidos novos materiais mais compatíveis com o corpo humano. Estes materiais têm de obedecer a um vasto número de parâmetros de modo a serem biocompatíveis. A biocompatibilidade é essencial para a implementação in-vivo dos biomateriais, de modo a minimizar quaisquer possíveis reacções de rejeição. A título de exemplo, é de referir a esterilidade do biomaterial, que é uma propriedade extremamente importante na àrea dos biomateriais.

 

engenharia cartográfica

engenharia Cartográfica é um ramo da engenharia dedicado a produção de conhecimento geoespacial, notadamente por meio de cartas topográficas, cartas náuticas, cartas aeronáuticas, mapas, plantas, SIGs - Sistemas de Informação Geográfica, sensoriamento remoto, levantamentos altimétricos, planimétricos, barométricos, topográficos, aerofotogramétricos, etc., necessários a construção de grandes obras de engenharia, como estradas, pontes, hidroelétricas, aeroportos, etc.

Saiba mais acessando http://www.patriciamellilo.com.br

Leia mais em:

Construção Civil

Construção Civil

Geometria

Geometria

Desenho

Desenho

Jardim

Jardim

Iluminação

Iluminação

Gesso

Gesso

Condomínio

Condomínio

Projeto

Projeto

Projetos - Gerenciamento de riscos de Projeto

Projetos - Gerenciamento de riscos de Projeto

Projetos - Gerência de custo

Projetos - Gerência de custo

A modernização da Construção Civil

A modernização da Construção Civil

Engenharia da Computação

Engenharia da Computação

Engenharia Mecatrônica

Engenharia Mecatrônica

Engenharia Civil

engenharia civil

Urbanismo

Urbanismo

Paisagismo

Paisagismo

Maquete

Maquete

Design

Design

Decoração

Decoração

Alvenaria Estrutural

Alvenaria Estrutural